Linguagem, inteligência, memória e leitura na primeira infância



A influência ambiental e genética na definição do comportamento humano



Por que tantas crianças estão enfrentando dificuldades na alfabetização inicial?




45 Anos do Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Educação da PUCSP


45 Anos do Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Educação (PED): Contribuições e Perspectivas para Questões Educacionais

22 e 23 de setembro de 2014 - PUCSP

Mesa Redonda: Trajetórias de um Programa em Movimento: marcos e marcas

Apresentação de Maria Regina Maluf: Os inícios do Doutorado no PED


Um Curso de Doutorado? Por quê? Para que? A ciência organizada concede o grau acadêmico de doutor por meio de Instituições Acadêmicas credenciadas para certificar quem preencheu requisitos que qualificam para desenvolver investigações num determinado campo científico. Oferecer cursos organizados com esse fim, aos quais todos/as podem ter acesso desde que atendam os critérios previamente anunciados e divulgados, é índice de maturidade dos sistemas educacionais nas sociedades contemporâneas.

As origens do nosso doutorado encontram-se na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Brasileira (LDB) que entrou em vigor em 1961, incluindo formalmente os cursos de pós-graduação como parte integrante da estrutura da educação brasileira. A formalização dos cursos por meio de legislação específica deu-se por meio do Parecer CFE no. 977/65 aprovado em 3/12/1965. Assinado por figuras proeminentes da época A. Almeida Júnior, Presidente da Comissão de Educação Superior; Clóvis Salgado, José Barreto Filho, Maurício Rocha e Silva, Durmeval Trigueiro, Alceu Amoroso Lima, Anísio Teixeira, Valnir Chagas e Rubens Maciel, teve Newton Sucupira como relator, que hoje está sendo homenageado pela CAPES pela Plataforma Sucupira de informações sobre a pós-graduação.

Como explica o professor Joel Martins (1920-1993) – o idealizador da Pós-Graduação da PUCSP e de nosso Programa, do qual foi criador e coordenador- , quando nosso Programa foi criado a Portaria 77/69, que determinou as normas de credenciamento dos Programas de Pós-Graduação no Brasil, ainda não havia sido publicada, mas havia o parecer 977/65 e sobre essa base teve início o “Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Educação” da PUCSP, juntamente com os de  Teoria Literária e a Linguística Aplicada ao Ensino de Línguas. Era o ano de 1969, e os Programas eram todos de Mestrado, visto como etapa preliminar na obtenção do grau de doutor, embora não considerada como condição indispensável. Somente com o amadurecimento paulatino dos Cursos de mestrado começaram a ser criados no Brasil os Cursos de Doutorado, que de acordo com o Parecer “têm por fim proporcionar formação científica ou cultural ampla e aprofundada, desenvolvendo a capacidade de pesquisa e poder criador nos diferentes ramos do saber”. Como o Mestrado, o Doutorado em Psicologia da Educação da PUCSP foi pioneiro, ocorrendo sua criação em 1982.

Até essa segunda etapa, nosso Programa era designado como Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Educação. Mais tarde, e depois de muitos debates que envolveram discussões de áreas no Setor de Pós-Graduação da PUCSP, optou-se por designa-lo como Programa de Pós-Graduação em Educação (Psicologia da Educação).

Na área de conhecimento da Psicologia da Educação as discussões a respeito das relações entre a Psicologia e a Educação nunca foram consensuais, nem sabemos se poderiam chegar a ser. Como “Programa em Movimento”, título escolhido para esta Mostra, e, em nosso entender, em Movimento têm que estar sempre a pesquisa, a elaboração teórica e a prática, essa é uma questão que continua a exigir nosso estudo, reflexão e debate. Cabe debater e fazer nossas escolhas: Como se relacionam a Psicologia e a Educação? Que Psicologia é essa que fazemos? A que Educação nos referimos? Com que nível do sistema educacional nos preocupamos, considerando desde as creches até os adultos do ensino superior e os excluídos do sistema educacional regular? Qual a relevância de nossas teses teóricas para as práticas educacionais que criamos, mudamos ou reformulamos? Para onde vamos nestes difíceis caminhos da educação brasileira?

O Curso de Doutorado recebe interessados em Psicologia da Educação que de alguma forma já experimentaram a pesquisa, o trabalho acadêmico, o prazer de pesquisar e de estudar. É com a dedicação de todos que podemos multiplicar profissionais e pesquisadores competentes e preparados para dar sua contribuição efetiva para a educação nacional.

Educação Brasileira 120 - Andrea Bergamaschi e Maria Regina Maluf



Sinopse do Livro Psicologia Educacional - Maria Regina Maluf



Educação infantil e alfabetização